FOLE


Uma performance de dança que se faz enquanto se move. Algo que vai indo. Um tipo de inércia. Um sopro que apaga e acende o fogo. Como num feedback onde estímulos produzem atualizações constantes, FOLE se faz por encadeamentos: movimento que produz ar, que produz som, fisicalidades que geram emoção, controle que gera espontaneidade, rítmicas que criam palavras, que criam sensações e vibrações.


"Michelle Moura faz do seu FOLE um monossílabo: ar. O ar que o corpo inspira e expira. Às vezes, vento encanado, às vezes mastigado a ponto de virar som. Tem corpo para tudo, nesse mundo da dança, e, às vezes, ainda aparece um que, ainda bem, passa pelas cancelas estabelecidas e abre as tampas das trajetórias por percorrer. Michelle Moura vai cavocando, cavocando, e as materialidades vão aparecendo e se enfileirando no seu corpo-varal. Pura artesania escorada em castiça dedicação."
Helena Katz | Estadão

"A regulamentação do corpo que assim dança busca aberturas, minidisparos para o infinito que duram poucos milhares de milissegundos. pequenos desejos tão ligados entre si quanto orgasmos organizados pela mesma pessoa. Gozos que se confundem com suor, atitude, buscas, dor, incertezas e prazer."
Arthur Moreau | 7x7

"É uma criação artística que instaura um estranhamento insistente e pede ao espectador uma disposição curiosa: esse estado de experimentação contínua também, que se abre ao inexplorado da vivência humana pela ousadia de investigar outras vibrações para a percepção."
Luciana Romagnolli | Horizonte da Cena

“O corpo em ação da intérprete gerava uma experiência sinestésica, um pulso contagiante. Meu corpo pulsava com o dela e, ao olhar para a plateia, percebi que não era só o meu. Outros olhares e corpos eram apanhados pelo gerúndio daquele corpo mutável e deles também escapava vibração... E depois de tudo isso, ela, Michelle Moura, era uma última dança, que eu poderia ver pelo dobro de tempo que durou. Uma dança em gerúndio, dançando, em sua mutação e escape.”
Maria Carolina Vieira | Interartive

"Se o movimento é de expulsão e se somos deixados no puro e denso breu, num grande não saber, enigma que nos abraça e quase sufoca, talvez seja o caso de aí permanecer por hora: num território onde não há certezas e no entanto não é qualquer coisa que pode ser. Poderia ser – neste grande não saber em que Michelle Moura nos deixa – aquilo que persiste, aquilo que como vestígio do que se passou e como pista do que pode ser resta depois de uma performance tão pungente como FOLE."
Anderson do Carmo | Enquanto Danças

"Una chica pequeñita y sin pretensiones, de pronto se para en el escenario y, respiración tras respiración, nos mete en un submundo de ambigüedades sensoriales. La obra despliega en la sala una afectividad que inevitablemente involucra al espectador."
Lucía Naser | La Diaria

[EQUIPE] 
criação e performance | Michelle Moura
som | Rodrigo Lemos
luz | Fábia Regina
dramaturgia | Alex Cassal
foto | Cristiano Prim
produção | Cândida Monte e Wellington Gitti
apoio | Programa Artistas en Residencia PAR 2013 / Taller Casarrodante e FIDCU – Festival de Danza Contemporánea do Uruguay
distribuição internacional | Something Great 

Criação subvencionada pelo Programa Rumos Dança Itaú Cultural 2012- 2014.

[ESTREIA]
FIDCU Festival Internacional de Danza Contemporánea | Montevidéu, Uruguai | 14 de maio de 2013

[DATAS]
Santarcangelo Festival | Santarcangelo di Romagna, Itália | 2018
Mousonturm | Frankfurt, Alemanha | 2016
HAU 3 Hebbel am Ufer | Berlim, Alemanha | 2016
Kampnagel | Hamburgo, Alemanha | 2016
Festival de Curitiba | Curitiba PR | 2016
Arqueologias del Futuro | Buenos Aires, Argentina | 2015
Festival Internacional de Dança | Recife PE | 2015
Conexão Dança | São Luís MA | 2015
Sesc Santos | Santos SP | 2015
Musée de la Danse | Rennes, França | 2015
DansFabrik - Le Quartz | Brest, França | 2015
Sesc Encena | Curitiba PR | 2014
Panorama de Dança | Rio de Janeiro RJ | 2014
Caxias em Cena | Caxias do Sul RS | 2014
Difusão Norte Prêmio Klauss Vianna Funarte | Rio Branco, Boa Vista, Porto Velho e Palmas | 2014
IC8 – Interação e Conectividade | Salvador BA | 2014
IPAM International Performing Arts Meeting | Barcelona, Espanha | 2014
Múltipla Dança | Florianópolis SC | 2014
FIDCU Festival Internacional de Danza Contemporánea | Montevidéu, Uruguai | 2014
Sesc Belenzinho | São Paulo SC | 2014
Santiago a Mil | Santiago, Chile | 2014
FUGA – Festival de Artes Cênicas | Goiânia GO | 2013
Festival Contemporâneo de Dança | São Paulo SP | 2013
Mostra Rumos Itaú Cultural Dança | São Paulo SP | 2013

[IMPRENSA]
Contra o embrutecimento da sociedade: ecos do Festival de Curitiba | Luciana Romagnolli | Curitiba PR, 2016
Eine Kunst des Verschwindens | Astrid Kaminski | Alemanha, 2016
Comment le Brésil | Gérard Mayen | França, 2015
FOLE - Reverberações de um corpo que respira | Maria Carolina Vieira | 2014
Sobre Fole | Anderson do Carmo | Florianópolis SC, 2014
Extraordinárias experiências com a dança | Helena Katz | São Paulo SP, 2013

[teaser]