6 MODELOS PARA JOGAR

TEATRO-DANÇA | BRASIL | 2015

Um espetáculo que é feito de uma pluralidade de interpretações e que muda de estrutura a cada vez que é apresentado. Uma obra em movimento. Um jogo. O projeto 6 MODELOS PARA JOGAR propõe um desafio criativo inspirado na liberdade criativa de O Jogo da Amarelinha, do escritor argentino Julio Cortázar. Cinco diretores que transitam entre o teatro, a dança e a performance e quatro criadores-intérpretes construíram um espetáculo que se desdobra em vários outros, explorando diferentes maneiras de entrar em cena, construir coisas e ideias, se relacionar com os espectadores. Cada apresentação é diferente da anterior, com apenas uma coisa certa: tudo e todos podem mudar de lugar.


"Eles se juntam, e juntam-se a eles diretores. E cada um traz ao grupo possibilidades. Então jogam. E assistimos. E o espetáculo é apenas isso. Um jogo em que ora somos incluídos. Como sempre é feito mesmo, nesse tipo de trabalho. Pequenos gestos, pequenos movimentos, a leveza do humor em alguns momentos. E o público pode se espalhar, pode pertencer, pode ter um mínimo momento de encontro catártico e ser também o espetáculo. Um abraço coletivo em frente ao pôr do sol."
Rui Filho | Revista Antro Positivo | São Paulo

“Trata-se de um mosaico de seis peças-procedimento, cada uma idealizada por diretores diferentes... Traz à cena sequências marcadas de forma precisa, como num exercício minimalista executado pelos atores. O minimalismo da encenação, no entanto, resvala gradualmente para improvisações que constroem novas imagens do corpo em evolução, com peculiares sonoridades e uma total refiguração da relação do ator com o público.”
Mariana Barcelos e Renan Ji | Questão de Crítica | Rio de Janeiro 

"6 MODELOS PARA JOGAR une investigações acerca de como, através da dança contemporânea, é possível oferecer uma experiência teatral imprevisível, de autoria coletiva e lúdica."
Rodrigo Monteiro | Crítico Teatral | Rio de Janeiro
 
"Um espetáculo de teatro em que somos levados a um clímax, sem que tenha havido antes um enovelamento das coisas que se mostraram. É muito lindo ter um clímax, um êxtase, um enlevo, de surpresa, sem que estivéssemos nos dando conta de que tava rolando uma preparação pra ele, o tempo todo, e a gente sem se dar conta."  
Luís Capucho | Músico | São Paulo
 
EQUIPE
idealização | 
Alex Cassal e Dani Lima
criação | Alex Cassal, Bárbara Fontana, Cristian Duarte, Dani Lima, Denise Stutz, Fábio Osório Monteiro, Francisco Thiago Cavalcanti, Júlia Rocha, Márcio Abreu e Renato Linhares
direção | 
Alex Cassal, Cristian Duarte, Dani Lima, Denise Stutz e Márcio Abreu
atuação | Júlia Rocha, Fábio Osório Monteiro, Francisco Thiago Cavalcanti e Renato Linhares
assistência de direção | Bárbara Fontana
desenho de luz | 
Tomás Ribas
arranjo da música final | Felipe Rocha
fotografia |
 Renato Mangolin
direção executiva | Fábio Osório Monteiro
realização | Astronauta Produções Artísticas

Projeto viabilizado pela Lei Federal de Incentivo à Cultura, patrocínio do Governo do Rio de Janeiro, da Secretaria de Estado de Cultura, da Lei Estadual de Incentivo à Cultura do Rio de Janeiro e da Oi, apoio cultural Oi Futuro, apoio Programa Rumos Itaú Cultural e Sesc Rio de Janeiro, realização Ministério da Cultura.

APRESENTAÇÕES
SESC Belenzinho | São Paulo, SP | 2015
FIAC – Festival Internacional de Artes Cênicas | Salvador, BA | 2015
Espaço SESC | Rio de Janeiro, RJ | 2015

ESTREIA
Mostra Rumos Itaú Cultural | São Paulo, SP | 27 a 30 de agosto de 2015

site
trailer
espetáculo integral