DESEJO-MANIFESTO


Os manifestos artísticos marcaram uma época. Foram o principal instrumento de todo uma geração de artistas para dialogar com o seu tempo, rever destinos e propor futuros em comum. Através deles, os artistas posicionaram-se no mundo como comunidade, compartilhando ideias e experiências. Em 2011, o Manifesta! – ocupação artística que dirigiu o Teatro Cacilda Becker no Rio de Janeiro – fez um convite especial a diversos artistas da cena: “Qual é, hoje, o seu manifesto?” Na sua proposta, Alex Cassal construiu uma sala de espelhos que embaralha identidade e cultura, memória afetiva e reflexão social: DESEJO-MANIFESTO.



"Habitar o outro é um serviço básico do ator. Por isso não estranhamos a brincadeira da Marina em ser o Alex. Mas o desvelar desse processo e o fato do Alex não ser alguém imaginário, mas alguém que já-já entrará no palco, faz esse mecanismo um pouco mais curioso do que uma peça de teatro com atores interpretando qualquer outra personagem. Essa conversa próxima, real, nos traz mais perto da atriz, do ator. Assim, público e atores criam a ocupação de um espaço invisível, mas que não está no campo da ficção, está no campo real do aqui/agora com pessoas reais e não com personagens inventados."
Karine Cupertino | Teórica de Teatro

[EQUIPE]
dramaturgia e direção | Alex Cassal
criação e atuação | Alex Cassal e Marina Provenzzano
foto | Bruno Mello
realização | Foguetes Maravilha

[ESTREIA]
Projeto Manifesta! | Rio de Janeiro, Brazil | 14 de dezembro de 2011

[DATAS]
Ocupação Sesc Belenzinho | São Paulo SP | 2014

[IMPRENSA]
Ocupação Foguetes Maravilha | Programa | São Paulo SP, 2014 [pdf]
Para habitar o que já se ocupa | Karine Cupertino | São Paulo SP, 2014 [pdf]
Foguetes Maravilha evoca Asdrúbal Trouxe o Trombone | Carta Capital | São Paulo SP, 2014