AS CIDADES INVISÍVEIS

TEATRO | PORTUGAL | 2016

Três viajantes flutuam no meio do Mediterrâneo. Enquanto se deixam levar pelas correntes rumo a um destino que ainda não conhecem, relembram os nomes das 55 cidades descritas por Italo Calvino no seu livro As Cidades Invisíveis. São cidades com nomes de mulheres, como se as cidades também fossem pessoas. Pessoas que são atraentes ou estranhas, velhas ou recém-nascidas, tranquilas ou furiosas. Pessoas que têm desejos, memórias, falas. No livro de Calvino, as cidades são protagonistas de histórias em que se confundem regiões reais e inventadas, ligadas por caminhos onde o trânsito é livre. Mas para os viajantes à deriva que fazem a cartografia imaginária de cidades improváveis que talvez nunca venham a conhecer, é preciso antes ultrapassar fronteiras – essas linhas que unem mas que também separam territórios, pessoas e culturas.
Um espetáculo para público jovem já apresentado em Portugal, no Brasil, Chile e Argentina.



"As perguntas ao público não foram somente uma forma de revelação das ligações entre indivíduos dispersos num espaço. São-nos dadas pistas: as respostas não são – nem devem ser – imediatas. A partir destas perguntas, conhecemos um pouco do mundo de cada um destes 3 indivíduos, sendo que as revelações dos mesmos nos permitem não só ligarmo-nos a eles, como são o ponto de partida para grande parte da viagem que fazemos com eles. Um ponto de partida que poderia surgir somente do texto de Calvino, mas que é fortalecida pela vertente pessoal e íntima que nos é fornecida na narrativa."
Teresa Vieira | Curly Mess | Lisboa

"O espetáculo vale-se do livro como trampolim para um mergulho em jogos de linguagem a cavoucar a edificação do sujeito cidadão, em pontos de vista diante da polis. O autor do espetáculo ergue espaços virtuais, ambiguidades e paradoxos numa peleja de vozes e imagens. Cassal fabrica heterotopias, tensionando juízos de que cidades – impérios ou pessoas – estão em eterno movimento de ascensão e queda, no processo dialético de fluxo e refluxo, esplendor e ruínas, continuidade e ruptura."
Ivana Moura | Painel Crítico | São José do Rio Preto

EQUIPE
dramaturgia e encenação | Alex Cassal (a partir do livro As Cidades Invisíveis de Italo Calvino)
criadores-intérpretes | Alfredo Martins, Paula Diogo e Rafaela Jacinto
pesquisa | Joana Frazão
desenho de luz | Daniel Worm
fotografia | Luís Martins
produção | Má-Criação
coprodução | Teatro Maria Matos e Cine-Teatro Louletano

TRAJETÓRIA
Teatro do Instituto Cultural Brasil-Alemanha | Salvador, Brasil | 2017
Teatro Auditorium | Mar del Plata, Argentina | 2017
Matucana 100 | Santiago, Chile | 2017
FIT - Festival Internacional de Teatro | São José Rio Preto, Brasil | 2017
Cine-Teatro Louletano | Loulé, Portugal | 2016

ESTREIA
Teatro Maria Matos | Lisboa, Portugal | 11 a 14 de fevereiro de 2016

trailer
espetáculo integral