MORRER NO TEATRO


Boa noite. Eu tenho uma proposta; vamos imaginar que todos nós viemos hoje a este teatro para assistir a um espetáculo. Vamos imaginar que estamos no saguão de entrada do teatro, esperando que o espetáculo comece. O espetáculo demora a começar, e enquanto esperamos vai crescendo a expectativa, aquela sensação de que alguma coisa está prestes a acontecer. Mas ainda não aconteceu. É uma expectativa boa. O que não quer dizer que aquilo que vai acontecer vai ser bom. Pode ser mau. Pode ser extremamente mau, mau de uma forma apocalíptica, e todos os que estão aqui hoje vão arrepender-se de ter saído de casa e vão preferir estar em qualquer outro lugar ao invés de estar aqui. Desde que não seja um lugar comparativamente pior, como uma cama de hospital cercada de tubos e monitores, ou um bote à deriva no meio do mar, ou no ponto de impacto de um meteoro gigante que vai cair sobre a nossa cabeça e ao cair vai iniciar uma nova Era Glacial e matar toda a vida na Terra. Mau desse jeito. E enquanto esperamos, um de nós olha pela janela do saguão de entrada do teatro e vê que está a nevar lá fora. E diz: “Olhem, está nevando lá fora”.


[EQUIPE]
texto e encenação | Alex Cassal
elenco | Marco Paiva (e um ator amador diferente à cada noite)
apoio à dramaturgia | Joana Frazão
iluminação | Tomás Ribas
direção de movimento | Márcia Lança
imagem | Nuno Morão
produção executiva | Daniela Ribeiro
coprodução | Má-Criação e Teatro Maria Matos
apoio à criação | Espaço Alkantara, O Espaço do Tempo, MOITA - Centro de Experimentação Artística, Escola Superior de Teatro e Cinema - ESTC e AZALA kreazio espazioa (Espanha)

[ESTREIA]
Teatro do Bairro Alto | Lisboa, Portugal | 07 a 24 de Março de 2019

[DATAS]
Teatro Municipal Baltazar Dias (pré-estreia) | Funchal, Madeira | 2019